Um Conto de Fadas

Autor: Darlan Villalba /

“Elas estão a toda parte, brincando nas praças, envolvendo a todos com luz e colorindo este mundo com alegria. Ninguém consegue vê-las, pois estão todos ocupados com suas acomodações...”

Um Conto de Fadas
.
Chagas eram curadas pelas mãos do Santo, sentimentos eram transferidos na linguagem do coração, devolvendo a paz e a tranqüilidade aos ouvintes. Dos lábios de quem os expressava, palavras ganhavam vida, emoção e amor a cada minuto. Mas em seu interior o Narrador sentia-se perturbado. Via apenas com seus olhos, sentado junto à porta, uma pequena fada. Comportada, concentrada, como se aqueles modos fossem totalmente contra sua verdadeira natureza.

O Narrador fechou o livro e os corações confortaram-se com a sua promessa em continuar a historia do Santo algum dia. Mas a sua mente estava inquieta com a presença da fada, que seguiu seus passos logo depois que abandonou o recinto. O nome dela era Liss, apenas ele sentia seu encanto, seu brilho, sua doçura. Logo ele estava envolvido com seu amor e com suas brincadeiras. A muito tempo não se envolvia com uma fada e prometeu nunca fazer isto, para não cair em seus encantos e nas suas ilusões.

Quando criança conhecemos estas pequenas criaturinhas. Como a inocência fazia parte de nossos corações, não éramos seduzidos ou embriagados com seu doce licor. Quando crescemos, abandonamos o reino delas e nos dedicamos a outros amores. Mas nem todos se esquecem delas. Alguns vivem no passado alucinando-se a cada lembrança. Outros observam apenas a distancia, lambendo os lábios desejando prová-las. Mas há os que se arriscam no Mundo das Fadas, experimentam seu delicioso licor, tornam-se imediatamente loucos e ficam presos no mundo delas. Um vicio que não tem volta.

Enquanto servia-se de um belo lanche, Liss agarrava-se em suas pernas. Se deseja-se, com apenas um “Não” ela se afastaria dele. Mas nunca teve a experiência com uma fada. Muitos dizem que não há sabor mais delicioso que o delas, que os deuses largariam os céus em troca disto. Em toda a sua vida ele observou as fadas, muitos não conseguiam vê-las, mas ele nunca as esqueceu. Nunca se arriscou em possuí-las, em saboreá-las, ele temia a droga que já matou a tantos.

Aquela era uma oportunidade única, jamais alguma se afeiçoou tanto a ele. Já houve momentos em senti-las bem próximas de seu corpo ou desnuda-las diante de seus olhos. A Liss era diferente, ela vivia sorrindo e rindo a qualquer coisa, voava e rodopiava a sua volta. Parece que ela fazia daquela casa seu lar, único lugar que ele presenciava sua companhia. Houve tempos que ele apenas adentrava no casebre para encontrá-la, momentos raros de pura alegria. Agora ele vivenciava a mesma emoção tendo-a agarrada em sua cabeça ou entre as suas pernas.

A poucos dias ele superou diversos obstáculos na vida e estava pronto em passar pelo Portal de Ouro maciço, estava pronto até para morte ou para ascensão, mas em seu passado ele deixou vivo um assunto pendente que o perseguia. Obstinava compreender a natureza das fadas .

Liss a cada momento sedia espaço as suas investidas. Ele sentia a boca secar desejando por tudo prová-la. Toda vez que a segurava entre as mãos, ela fugia como uma faísca. Não sabia se ficava perto dele por pura inocência ou apenas para provocá-lo. Mas toda aquela diversão não durou muito, ela ouviu alguém chamando-a. Voz que ele não conseguiu pressentir. Ela voou entre as grades da janela e sumiu na rua.

Pouco momento junto com aquele encantador ser durou uma eternidade. Exausto sentou numa cadeira e tomou um gole d´agua. Parece que uma parte de sua alma foi arrancada, ela lhe tirou um pouco de sua energia.

Dias depois, ele se envolveu na escuridão, procurando uma resposta para aquele fenômeno.

Enquanto isto mais se afastava do Portal de Ouro...


_______________________
Foi muito difícil tornar real este texto, mesmo que seja de facil leitura. Pois é arriscado falar sobre o Mundo das Fadas sem ser tachado como louco...

5 comentários:

Erica disse...

Vc não é louco
você é mais certo que todos nós
adorei mesmo
beijos!

Diógenes Daniel disse...

pô, que legal isso aqui! Mesmo! Você joga Changeling?

Darlan Villalba disse...

Nunca joguei Changeling mas já li a respeito, eu considero um sistema bem diferenciado de todo restante.

Cintia Pereira disse...

Parabéns pela coragem de falar em fadas. Esses seres fantásticos que só os loucos podem enxergar. Que sorte eles têm!

Claudia Fernandes disse...

Adorei vc é o maximo!