A Mente

Autor: Darlan Villalba / Marcadores:

A Saga Camaleônica, texto 3 de 6.

Por que continuamos recriando a mesma realidade? Por que continuamos tendo os mesmos relacionamentos? Por que continuamos buscando os mesmos empregos? Não é surpreendente que tenhamos opções e que existam potenciais? Mas que não estejamos conscientes deles?


O que é a realidade? Como sabemos...
A Mente
Sentado sobre a abóbada celeste, observo fios de pensamento rasgando o céu, de um lado a outro do planeta. Como raios numa tempestade enfurecida. Logo abaixo, encolhido em nossas casas, vivemos presos na teia da ilusão, que foi criado por nós, em nossos mais sinistros sonhos.

A sala é invadida por um azul hipnotizante, forçando-nos a mentir para nós mesmos. Atrofiando a mente, numa idéia simplória, de vivermos todos num mesmo ideal. Seguimos modelos e idolatramos criaturas desalmadas, comemos da lama e do lixo que nos é regurgitado e desejamos corpos perfeitos que faltam quebrar como palitos. A musica toca repentinamente no radio, marchamos cegos esmagando nossos inimigos e a todo o momento nos vitimizamos por erros cometidos no passado. Vivemos uma novela, mas não como na ficção, buscamos sempre um distante final feliz e nos viciamos em sentimentos artificiais que nos foram forçados a engoli.

Por que vivenciamos o mesmo sonho? Por que a esperança nos trás os mesmos amores? Por que a felicidade possui apenas uma face? O mundo é criado a nossa imagem e semelhança e sentimo-nos seguros cercados na frágil fachada de cristal. Usamos a falsa mascara de nossos ídolos, conquistamos a vaidade e apodrecemos por dentro.

Vejo somente clones a todos os lados. Somos como as aves, possuímos asas e somos tão livres como o céu, mas é só jogarem migalhas que virá um bando de pássaros esfomeados em busca de sua ração. Somos viciados no que vemos; o novo soa como uma invasão alienígena e corremos como galinhas assustadas. Quando acordamos, dopamos a nossa mente, nos envolvemos num véu e fantasiamos o nosso dia, como num filme. Mas que ainda não foi estreado.

Ilusão... Apenas ilusão...

A realidade torna-se tão concreta e inalterável, que sentimos pavor em cruzar a Porta das Possibilidades. Tornamo-nos insignificantes e inúteis diante da grandiosidade do mundo, desejamos não mudar e inertes, o mundo roda sem o nosso controle. Então somos objetos, não temos papel algum e não temos como mudar a nossa posição diante do mundo.

Penso... Logo existo...

Quando fechamos os olhos, o mundo se torna um turbilhão de tormentas no meio da tempestade, assim como os nossos desequilibrados pensamentos. Como se todas as pessoas, objetos e acontecimentos fossem formas-pensamento.

Mas, se a realidade é uma possibilidade mental, então ela só existirá pela minha ação. O futuro não o afligirá, pois ainda não aconteceu. E o Passado, é apenas o reflexo de nós mesmos, soando como uma lembrança distante e somos nós que abrimos as portas a Ele, e o Infeliz só pede para ser esquecido. Nós somos as engrenagens da roda do Tempo, ele só passará a existir pela nossa ação. A todo o momento assumimos um papel no mundo, mas ele não nos dá a verdadeira experiência, nós que escolhemos cruzar a porta. E, portanto, criamos a nossa realidade.

Quando o mundo torna-se entediante e vazio de idéias, quando nos deixamos ser invadidos por informações medíocres e pobres, ou quando nos espelhamos na beleza inalcançável, passamos a cultivar a casca seca de nossas vidas e impedimos que o fruto germine nossas idéias. Mas da inércia pode-se brotar até um belo jardim e passamos a buscar novos horizontes. O que você faria se o sol nunca despenca-se do firmamento? Perguntaria: por que da minha existência? Se estou aqui, qual o propósito? Qual o caminho a ser trilhado? E da morte, será o meu fim? É desesperador para uma criatura descobrir que no fim a vida foi uma farsa, mas se ela for contagiada por esta natureza, verá o seu mundinho desmoronar.

Todos nós que vivemos hoje possuímos a plena sabedoria de decidir seguir o caminho certo, mas quem pularia o precipício das ilusões e dos vícios? Para muitos seria a morte apenas olhar para as trevas do seu ser e perturbador olhar para trás e ver tudo que seria perdido. Este é o maior desafio de nossas vidas.

O caminho é estreito, certamente todos nós deveremos passar por lá. Mas, um dia devemos amar a vida tanto quanto amamos o vicio.

A única maneira de eu me sentir bem comigo mesmo, não é o que faço para meu corpo, mas o que faço para minha mente.

No final volto a minha vida, subjugando o meu mundinho e observando as inspirações despencarem na Terra, como estrelas cadentes. Mas ainda continuo criando ilusões para estancar a dor e a caminhar sobre a estrada de carvão escaldante. Comigo levo o retrato Dela, na eterna esperança de ter o seu amor, apaixonado pela expectativa em ser correspondido...
Texto baseado no documentário de física quântica - "Quem Somos Nós?".
Esta foi a primeira vez que demorei dois dias para se criar um texto.
Espero que tenham gostado e desejo tornar estes textos uma rotina semanal em meu blog.

12 comentários:

Gino Netto disse...

Que bom que voltou a escrever, não desanime!

Aproveito para informar que o cadastro do Feeds do seu blog foi corrigido.

Sucesso
Gino Netto
http://paginageral.com/bloggeral

Ygor. disse...

Muito bom o texto :)

O que é realidade?
Grande duvida
As vezes eu paro pra tenta achar um pq das coisas, mas paro em vão
tem coisas que nao tem explicações
:D


http://www.mundo-oculto.blogspot.com/
Obrigado pelo comentário mas nao fui só eu que escrevi não.

Des[Construíram] disse...

Só quando me confronto com a realidade é que me dou conta de que a ilusão é um universo de possibilidades factíveis.

Mario disse...

Nossa exelente texto.
O que eu posso dizer sobre realidade, talvez seja essa unica realidade a que vivemos, e envão estamos tentando desobrir a verdade que dez de plutão é desconhecida.Eu ja desisti=)
Kara você é muito inteligente ja ta nos favoritos porcura continua esses textos que émuito interessante.

O Mago disse...

Darlan, obrigado por ter entrado no meu humilde blog. Agradeço também os elogios, embora saiba que ainda tenho muito a aprender. Só tenho 16 anos e estou só começando. A estrada é longa e os caminhos são sinuosos... Espero suportar. Parabéns pelo seu blog, que tem textos muito bem escritos. Gosto do jeito como você organiza e trata de suas idéais, dando a elas um quê de emotividade e sentimento. Quanto à menina do texto que eu escevi... bem, as interpretações estão aí e você tem todo o direito de entendê-las como quiser, esse é o propósto maior do blog. Prometo, entretanto, mais clareza nos próximos textos. Espero que os continue lendo. Agradecido mais uma vez,
O MAGO

O Mago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
William Maia disse...

Ta de PArabeins seu blog

vc escreve mto
sucesso ae!

Abraço!

http://www.imperiomaia.blogspot.com

:B

Editor disse...

Há lugar na rede para textos? Há e o camaleão e a prova disto. Também estou com um blog tentando ir além dos videozinhos e ppszinhos que pululam por aí.
Disseste que não foste tu o autor deste, quem é então?
isaias
http://pireu.blogspot.com

denis disse...

Olá! A ilusão é uma ilha paradisíaca que se compra com cheque sem fundos. A realidade é uma cidade plana, arejada e trafegável, mas que pode nos sufocar com seu concreto.O que fazer, então? Meu pobre conselho é sempre navegar, nem tanto ao céu, nem tanto ao mar. Um abraço.

Anônimo disse...

Mandou bem. Voc� conhece aquela can�o?
"Marcianos invadema a Terra. Est�o inflando o meu ego com ar. E quando penso que j� estou chegando, tenho que dobrar mais uma esquina..." Legi�o Urbana
Abra�os, estranho amigo.Se um dia criar um blog, quero que apare�a, t�

douglasfert disse...

Textos mais elaborados levam um tempo extra para serem elaborados. Mas normalmente valem a pena todo o esforço.
NEste caso valeu!

RznD disse...

'A realidade torna-se tão concreta e inalterável, que sentimos pavor em cruzar a Porta das Possibilidades. Tornamo-nos insignificantes e inúteis diante da grandiosidade do mundo, desejamos não mudar e inertes, o mundo roda sem o nosso controle. Então somos objetos, não temos papel algum e não temos como mudar a nossa posição diante do mundo. '

muito bom o texto que você me indicou..mesmo..eu já dei uma lida neste livro quem somos nós..em algumas partes...ele é ótimo!
fico feliz que vc tenha gostado do meu texto...=] se quiser, dê uma olhada nos outros...achoq vc vai gostar
parabensss!